quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Adeus ano velho...

O vigente ano foi um ano igualmente escroto e magnífico, talvez, o mais agitado que eu já tenha vivido.O mundo fora do quarto rabiscado é bem mais interessante, cruel e paradoxalmente belo.As pessoas são como bonecos e as relações interpessoais são como joguinhos nem sempre divertidos.Sexo, drogas, róquenrou, tédio, arranhões nas minhas costas, mordidas no meu pescoço, apunhaladas no meu peito, menos teoria do que eu gostaria de ter absorvido mas muita prática.Prática em como ser um perfeito escroto, prática em aprender a não repetir os mesmos erros e uma ingenuidade tão irritante quanto crianças que não calam a boca.A gente se fode pra aprender...e como eu aprendi em 2010...

Cerca de oito tentativas infrutiferas de parar de fumar, uns 900 cigarros e nenhum comprimido.Obrigado aos que me ligaram às 4 da manhã (mesmo que eu não tenha atendido), obrigado pelas mensagens encorajadoras e fofas, aos que me pagaram drinks e inteiraram a passagem de ônibus quando eu mal me aguentava em pé, obrigado aos me carregaram para casa e aos que me seguraram enquanto eu vomitava, obrigado aos que estiveram comigo nas melhores e nas piores horas, obrigado pelo apoio e pela atenção, não vou citar nome algum, até porque 99% de vocês nunca lerá isso, mas existir é bem mais legal e confortavel sabendo que tenho a cada um de vocês por perto.E vice-versa.

Uma lista de coisas para fazer e uma lista de coisas para NÃO fazer dão lugar a lista de pessoas para matar e a lista de reclamações.Um novo emprego, faculdade, coragem e vontade de vencer.Eu sempre aprendi a morrer e não me levantar, agora é hora de desafiar meu próprio desequilíbrio e a faceta vil das pessoas e da vida com a mente aberta e os punhos cerrados.Ou você está ao meu lado ou está no meu caminho.

Um ano novo sem cigarros e sem drogas.Sem decepções amorosas, já abdiquei do meu coração.Um pouco menos de ressacas.Um pouco mais de foco e motivação.Menos dor e menos fatalismo.Mais força de vontade e mais atitude.A vida é uma orgia de sensações, que sintamos intensamente cada uma delas em todos os seus aspectos e formas.O máximo que se conseguir chegar perto de felicidade.É o que eu desejo para mim e para cada um de vocês.Façam com que cada ano seja o melhor ano de suas vidas.Que sejam felizes os infelizes.É a última chance antes de o mundo acabar.

E esse blógue idiota e sem leitores parte para seu terceiro ano de existência...não esperem nada de novo ou útil, vão ler um livro.

sábado, 25 de dezembro de 2010

Depois de um certo tempo sozinho e sem fazer questão de algo ou alguém, o telefone volta a tocar e eu até recebo mensagens de texto e me pagam bebidas e me dão algo como carinho e me tratam tão bem que por alguns instantes eu até me sinto querido de verdade.E depois de alguns dias simplesmente vão embora, como os parentes que vem pra sua casa só pra passar o natal e vão embora no dia seguinte.De alguma forma, fica tudo ainda mais vazio do que antes, e pensando horas a fio, chego a conclusão que eu sempre fui o último recurso, a última opção das pessoas.As pessoas (especialmente as moças) só me procuram quando não tem mais ninguém que as dê atenção, carinho ou qualquer coisa que o valha.Só se aproximam pra aumentar (ou simplesmente não baixar ) a auto estima, chegam e se instalam, e por mais sinceras que pareçam, mentem com um sorriso no rosto e olhos brilhando.E então enjoam ou arrumam algo melhor, daí me descartam e volta tudo a ser tão cinza quanto o background desse blog idiota.E o pior de tudo é que eu já sei disso mas sempre permito que esse tipo de coisa aconteça.Longe de mim querer me fazer de vítima (pelo menos dessa vez), porque eu também me divirto enquanto dura já sabendo que não vai durar por muito tempo.Só gostaria que as pessoas fossem um pouco mais íntegras e sinceras em suas atitudes e palavras, ou então assumissem de vez a escrotisse que mora dentro de seus pulmões e carregam em seus maus costumes e mau hálito.Seria bem mais fácil de lidar com filhos da puta dessa forma, mas aí, já não seriam fihos da puta, e tal nomenclatura não teria uso e o mundo seria um lugar bem mais sem graça com um palavrão a menos.Vão pra puta que os pariu.

==============================================

"Eu odeio o que me tornei
Pra escapar do que odiava ser."

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Top 3 Albuns de 2010



3 - Deftones - Diamond Eyes

Depois de quatro anos sem nada de novo e sem o baixista Chi-Cheng, em coma desde 2008, Deftones volta tão etéreo e pesado quanto sempre foi.A voz de Chino Moreno se confunde a um dos instrumentos da banda, e vai de sussurros e gemidos a urros e berros em segundos, comovendo e trazendo ódio.Música em sua essência, que te faz sentir, que tira sorrissos, lágrimas e encoraja.Além de ser uma das bandas que mais gosto, um dos melhores albuns que ouvi esse ano.Destaque para Diamond Eyes, Prince e Rocket Skates.



2 - Fear Factory - Mechanize

Brigas de egos, disputas judiciais e ofensas públicas deixados de lado, depois de sete anos o monstro Dino Cazares retorna ao Fear Factory e traz consigo outro monstro, Gene Hoglan.E como se todo o ódio alimentado esses anos fosse transmitido para seus captadores Blackout, o bom e velho Fear Factory volta mais técnico, furioso e melódico do que nunca.Ansioso para que voltem ao Brasil.Destaque para todo o ódio de fear Campaign e para a bela Final Exit.



1 - Maldita - Nero

Um fã pode ser meio suspeito para falar de sua banda predileta, mas ter ouvido o mesmo album cerca de 3 vezes por dia todos os dias desde que foi lançado talvez sirva como álibi ou prova de que música boa entra pelos ouvidos e se enraiza no cérebro e na alma.Nero vem para provar que peso não está apenas em afinar as guitarras o mais baixo possível e usar bumbos duplos de bateria, o peso está no que se transmite, nas atmosferas, nos sentimentos.Um album demasiadamente humano.A maldita tem músicas para ouvir quando se está feliz, quando se está triste, na hora de fuder e na hora de chorar, penso que isso é a principal característica de uma banda que de alguma forma está com você o tempo inteiro.Vou chorar sangue.Sem mais.Destaque para Cabeza de Vaca, S.N.C. e Translúcido, uma das faixas mais bonitas lançadas esse ano.

Segue o link para minha humilde resenha do Album.

http://madamamorte.blogspot.com/2010/05/dissecando-nero.html

domingo, 19 de dezembro de 2010

Forever Alone

- Só a operadora me manda sms.Pra dizer que meus créditos vão expirar e eu tenho que colocar mais.
- Só minha mãe me liga.Pra brigar comigo.
- Abro a caixa de e-mail e só encontro spam de catálogos de lojas ou de promoções ou correntes de jesus.
- Ninguém gosta de mim no facebook.Nem na vida real.
- Quando entro no msn as pessoas que ainda não me bloquearam ficam offline.
- E as que nem se importam em ficar offline ou ausentes me ignoram se falo algo.
- Chamo as pessoas para fazer algo e sempre me dão desculpas esfarrapadas pra não me ver.
- E quando me veem, ou acabam tristes e chorando ou querendo ir embora o mais rápido possível.


No fim das contas, só as pessoas que não me conhecem me dão algum tipo de atenção, e assim que começam a me conhecer por algum motivo se afastam tão logo quanto podem.E mesmo quando você coloca o orgulho e o egoísmo de lado ainda continua afastando pessoas sem querer.Seria ótimo saber o que eu faço de errado.Tem algo errado comigo mas eu gosto assim.

sábado, 18 de dezembro de 2010

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Cada pessoa tem um dom, uma habilidade, um talento.O meu é decepcionar pessoas, e sobretudo a mim mesmo.
Parabéns pra mim.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Eu recebo mais atenção do que mereço.Eu tenho mais do que muita gente tem.Há mais amor em volta de mim do que nunca.E é difícil se acostumar.Quem nunca teve nada, não sabe onde guardar tanta atenção e carinho quando recebe.Percebo que meu coração é do tamanho de um trem.De brinquedo.Tem gente que é escrota por natureza.Eis-me aqui.

Todas as demonstrações de carinho e amizade, todo o tempo gasto comigo, é como se nada disso tivesse algum valor, meu coração preto é tudo que eu tenho e eu não quero nem irei entregá-lo fácil assim.Eu prefiro te machucar a me machucar, e vai ser sempre assim.Não vai nem deixar lembranças, e não, não poderia (nem deveria) ter sido mais intenso e verdadeiro.Obviamente as pessoas se afastam de tudo que faz mal, e também do que não faz bem.Mas ir embora dessa forma é tão leviano e covarde que até faz eu me sentir superior de alguma forma.

Dias inteiros dentro de casa tomando remédios como se fossem balas de hortelã, assistindo pornografia e pensando em porra nenhuma.Nunca foi tão divertido e prazeroso ser coisa alguma, fazer parte de nada.E de repente, percebo que tudo que aprendi e experienciei talvez não valha de nada no final das contas.Algo como aquela sensação de quando você passa tanto tempo com a luz apagada que quando acende não consegue abrir os olhos.

As pessoas costumam fazer balanceamentos de suas vidas ao longo do ano quando o ano chega no final.Pouca coisa mudou, mas foi uma mudança como tirar um pilar de uma casa ou uma perna de uma mesa.E antes que toda a merda atinja o ventilador, eu tento aproveitar da forma que sempre levei a vida.Fazendo nada.Desperdício de potencial, gasto de energia...prefiro evitar a fadiga.Pode ser mais do que você merece, mas não é o que você precisa.

Disseram que eu tenho o maior defeito que um fracassado pode ter; preguiça.Tanto faz.É tão fácil julgar alguém quanto é fácil falar e não fazer ou planejar e não executar.Entre conversas que não chegam à lugar algum e orgasmos múltiplos, pelo menos em algo a gente se entende.Recolhamo-nos a nossa insignificância para uma última vez, que sabidamente por ambos não será a última vez.Decadência e vazio andando de mãos dadas.Belo casal.

Talvez o mais chato de tudo isso seja eu não conseguir dar valor para as pessoas e seus sentimentos, como se nunca fosse suficiente, como se eu não merecesse (e de fato não mereço), como se antes do começo eu já arquitetasse o fim.Assumidamente um escroto, que deixa as pessoas se guiarem por ideais e fica calado assistindo.Eu não tenho relacionamentos, eu tenho relações.Eu não gosto de ninguém.E pode não fazer muito sentido, mas isso machuca mais que rejeição.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Eu não gosto de ninguém
Tudo sempre foi assim
Eu não gosto de você
Eu não gosto nem de mim

O coração bate em um espasmo muscular
Tão ruim e destrutivo quanto bomba nuclear
Carrega uma tonelada na caixa toráxica
Tropeçando com a leveza de uma bailarina
Com o tempo você aprende que não aprendeu nada
A vida não passa de uma puta desesperada

Abelha operária, sangramento nasal
Ameaça de bomba, fase oral

Não vai doer mais em mim do que em você
Vai deixar um rombo, você não vai esquecer
Sempre começa e termina do mesmo jeito
Repetir o mesmo erro não é só um defeito
Me apaixono por você porque és causa perdida
Amo o impossível pois não tenho amor a vida

Carne podre, um banquete
Pau duro, um boquete
Silêncio, uma canção

Seu coração, na minha mão